terça-feira, 30 de abril de 2013

Mais um Poeta Algarvio.....


                                                                 ( Emiliano Costa)

Já aqui tenho falado de alguns poetas Algarvios, todos sobejamente conhecidos e que nos deixaram grandes mensagens poéticas, nomeadamente, João Lúcio, Cândido Guerreiro, João de Deus, entre outros…!!!

Chegou então a vez de falar um pouco sobre a vida e obra de EMILIANO COSTA (Médico e Poeta Algarvio, natural de Tavira).


(Tavira - Cidade natal de Emiliano Costa)

Nasceu na bela cidade do Rio Gilão, no dia 3 de Dezembro de 1884 e era um apaixonado pelo seu Algarve, pelas suas gentes…, pela forma como viviam…, pelos seus costumes….!!!

Licenciou-se em Medicina, em Coimbra, mas regressou à região algarvia para exercer a profissão de médico, no Concelho de Faro, mais concretamente na Aldeia de Estoi, onde viria a falecer aos 84 anos de idade, no dia 1 de Janeiro de 1968.

 (Igreja da Aldeia de Estoi - Concelho de Faro)

Mas a sua vida não era só a Medicina, dedicava-a também a outras actividades, tais como a pintura e a escrita, para as quais revelava possuir uma notável aptidão….!!!

A sua obra poética é constituída por 13 livros e por inúmeros poemas dispersos pelos jornais das décadas de 30 a 50 e em toda a sua produção poética deixa transparecer uma predilecção pela natureza algarvia….!!!

Aqui fica este bonito poema, que é bem o exemplo dessa “paixão”, pelo seu Algarve…., e que estou certa será do inteiro agrado, não só dos que apreciam boa poesia, mas também daqueles que, tal como Emiliano da Costa, amam a Natureza…!!!


"ALDEIA BRANCA"

Circunscrito à moldura da janela,
Vai o quadro do dia já a meio,
Potes de azul derramam-se na tela
E o sol a rir-se, a rir, bate-lhe em cheio.

Que inundação! Por cima de quintais,
Sobre telhados, torres, parreiras,
É o céu, é o céu azul demais!

Aflita, a aldeia acorre: e o ar atira
O gesso, a cal, chapões de claridade,
A ver se a cor deslava, o azul se atira.
Que superabundância – a claridade!

E eu visto a bata de escaiolador.
E eu sou espátula, pincel, pintor.
E eu já não sei o que faça a tanta cor.

(Emiliano Guerreiro)


domingo, 28 de abril de 2013

Onde Nasceu a Ciência e o Juízo????

(Poeta popular: António Aleixo)


Onde nasceu o autor
Com forças p'ra trabalhar
E fazer a terra dar
As plantas de toda a cor?
Onde nasceu tal valor?...
Seria uma força imensa 
E há muita gente que pensa
Que o poder nos vem de Cristo;
Mas antes de tudo isto,
Onde nasceu a ciência?...

De onde nasceu o saber?...
Do homem, naturalmente.
Mas quem gerou tal vivente
Sem no mundo nada haver?
Gostava de conhecer
Quem é que formou o piso
Que a todos nós é preciso
Até o mundo ter fim...
Não há quem me diga a mim
Onde nasceu o juízo?...

Sei que há homens educados
Que tiveram muito estudo.
Mas esses não sabem tudo,
Também vivem enganados;
Depois dos dias contados
Morrem quando a morte vem.
Há muito quem se entretém
A ler um bom dicionário...
Mas tudo o que é necessário
Calculo que ninguém tem.

Ao primeiro homem sabido,
Quem foi que lhe deu lições
P'ra ter habilitações
E ser assim instruído?...
Quem não estiver convencido
Concorde com este aviso:
- Eu nunca desvalorizo
Aquele que saber não tem,
Porque não nasceu ninguém
Com tudo quanto é preciso!


António Aleixo, in "Este Livro que vos Deixo"




sexta-feira, 26 de abril de 2013

parabéns....!!!!


Faria hoje 85 anos se estivesse entre nós....

Mas partiu há já muito...... (quase 19 anos)....!!!!

É muito difícil não lembrar este dia....

Por um lado (e deixando escapar um sorriso), por recordar toda a alegria e vivacidade com que encarava a vida..., o dia a dia...., mesmo nos momentos menos bons....

Por outro, porque a tristeza  de ter  perdido aquele "pilar" da família, faz e fará parte das minhas  lembranças, SEMPRE.....

A boa disposição  com que neste e noutros dias, festivos ou não, recebia a família e os amigos, era uma constante...!!!!

Gostava  muito de receber e mostrava-se sempre incansável....!!!!

Lá em casa quase tudo era motivo para haver festa...
Gostava de celebrar a vida...!!!

Sempre com um sorriso..., com total dedicação..., afável... e revelando disponibilidade para o que quer que fosse, recebia com enorme carinho todos quantos dela se abeiravam....!!! Talvez por isso mesmo fosse tão querida por todos...!!!

Mas tinha ainda outras características que eu e toda a família bastante admirávamos.....
Possuidora de uma bonita voz, era frequente ouvi-la cantar à  capela......e porque quem sabe cantar tem o ritmo dentro de si...., também dançava lindamente e nesses dias de festa (em que as gerações mais novas também participavam), ensinava a dançar quem demonstrasse gosto em aprender.... (ainda hoje, quando me disponho a abrir caixas de fotografias antigas, lá encontro os registos desses momentos...)

A festa era ela própria.... !!!!

Mas tudo passa..., tudo acaba...., ficando apenas as lembranças desses tempos, que apesar  de tão distantes, permanecem  "vivos" dentro de mim....!!!

Onde quer que estejas MÃE, um grande beijo de parabéns...

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Era para ser......, mas não será....!!!!

Aquilo que hoje é...., amanhã pode já não ser.....!!!!!
 
O ontem, até pode garantir a concretização, para muito breve, seja lá aquilo que for...., mas mesmo quando se trata desse "futuro" tão próximo...., será bom desconfiarmos, sempre, até ao momento de acontecer..., porque o mais certo é que esse tal "futuro" nos troque todas as voltas.....e como pouquíssimas vezes ele " baralha e dá de novo", ou seja, a reformulação dos planos/projectos fica de tal maneira comprometida, que o melhor mesmo é esquecer...!!!!
 
Para quem acredita...., só lhe resta esperar que a "Divina Providência" se encarregue..., não se sabe muito bem de quê..., mas que se encarregue.....!!!
 
Mas nunca é fácil encontrarmo-nos em tais circunstâncias...
Nunca é fácil pensar e muito menos dizer que: "era para ser..., mas não será"....!!!!!

terça-feira, 23 de abril de 2013

A vida nas Aldeias.....!!!!!!



É atractiva para muita gente, a vida nas Aldeias, onde nada parece acontecer...., mas o facto de se poder viver longe do bulício dos grandes centros urbanos, da confusão e dos atropelos que nos cercam de manhã à noite...., é sem dúvida uma enorme vantagem para todos os que procuram o sossego e a tranquilidade para o seu quotidiano.....



A pacatez dos pequenos lugares, onde todos se conhecem e onde todos são quase como “uma família”, torna tudo mais simples…, a entreajuda, a solidariedade…, enfim…, a grande proximidade entre as pessoas está presente a cada momento…

Pouco há nesses lugares….!!!!

Uma Rua central, uma Igreja, uma escola, um pequeno aglomerado de habitações, algumas quintas ou quintinhas em redor, uma mercearia, uma farmácia, um posto de saúde e pouco mais…., mas quem lá vive, gosta...., sente-se bem..... e não trocaria toda aquela simplicidade por nada deste mundo….


É realmente uma vida simples, feita de coisas simples mas que faz feliz muita gente….!!!!

A Aldeia aqui mostrada nas fotos apresentadas é “MATACÃES”, uma freguesia do concelho de Torres Vedras, constituída por diversas localidades….


Do seu património destaca-se a bonita Igreja de Nossa Senhora da Oliveira, a Ermida e Sítio do Senhor Jesus do Calvário e a Residência Solarenga da Quinta do Juncal.....



domingo, 21 de abril de 2013

Voz e Violão.....!!!



Estou a falar de Adriana Calcanhotto que esteve ontem em Torres Vedras...

O Teatro-Cine, recebeu ontem à noite a cantora e compositora Brasileira Adriana Calcanhotto que cantou e encantou…. (pelo menos a mim….).

Natural do Rio Grande do Sul, nasceu em Porto Alegre a 3 de Outubro de 1965.

Filha de um baterista de jazz e bossa nova e de uma bailarina, Adriana teve o seu primeiro instrumento, oferecido pelo seu avô (um violão), apenas com 6 anos de idade…

Aprendeu a tocar e mais tarde a cantar.
Iniciou a sua vida artística em bares de Porto Alegre, tendo também trabalhado em peças teatrais.

Depois começou a fazer concertos e festivais, no estilo VOZ e VIOLÃO……e hoje, aos 47 anos de idade e possuidora de uma voz fabulosa, Adriana Calcanhotto é conhecida em todo o mundo…..

No concerto de ontem interpretou várias canções do seu repertório, bem conhecidas do público, nomeadamente a que aqui apresento no vídeo que se segue:


Foi um belo espectáculo.....!!!!


sexta-feira, 19 de abril de 2013

A necessidade de evasão.....!!!!




 Quase toda a gente tem….!!!!

Será muito difícil mantermo-nos no mesmo local, a ver as mesmas pessoas, os mesmos espaços, dia após dia, durante tempo sem fim…, sem sentirmos essa necessidade de nos afastarmos, ainda que seja por pouco tempo e não muito distante do nosso “habitat”, para que o nosso olhar se distraia com componentes/elementos diferentes daqueles que nos rodeiam diariamente e que, tantas vezes, pesam demasiado sobre os nossos ombros…..!!!!

Entre muitas coisas que na vida me encantam…, uma bela paisagem é sempre algo que me preenche……, que me prende……!!!


Sejam rios, mar, florestas, montes, vales, despenhadeiros, ou ravinas….., tudo tem…., dependendo da época do ano…., algum pormenor que para mim é novo, que antes nunca tinha visto e que é sempre motivo de uma enorme surpresa….!!!!



Por isso, não raras vezes, sinto necessidade de descansar o olhar em belas paisagens, e até mesmo de “inventar” outras que não existem…, mas…, mais que não seja…., para captar a imagem, registar o momento para a posteridade (feito das coisas mais simples que a Natureza nos proporciona) e “divertir-me” na sua composição…, pelo menos para isso.., serve….!!!!



E é assim que, de quando em vez, vou à procurar desses pequenos “nadas” que podem fazer de um dia vulgar e normal como tantos outros, um dia completamente diferente, com mais cor e bem divertido….!!!




quarta-feira, 17 de abril de 2013

Minha Terra......!!!!!



Há mais de dois anos escrevi aqui, sobre o Advogado, Dramaturgo e Poeta Algarvio Cândido Guerreiro, natural da belíssima e típica aldeia de “ALTE”, pertencente ao concelho de Loulé, Distrito de Faro.

Hoje, encontrei este interessante soneto que Cândido Guerreiro dedica ao seu Algarve, “Lindo País de moiras encantadas”, como ele lhe chama e não resisti a publicá-lo:


Minha terra embalada pelas ondas,
Lindo país de moiras encantadas,
Onde o amor tece lendas e onde as fadas
Em castelos de lua dançam rondas…

Oh meu Algarve, quero que me escondas…
Que na treva da morte haja alvoradas!
Hei de sonhar com moiras encantadas,
Se eu dormir embalado pelas ondas…

Quando o sol emergir de trás da serra,
Sempre será o sol da minha terra
A fecundar-me o chão da sepultura…

Ao pé dos meus, na minha aldeia querida,
A morte será quase uma ventura,
A morte será quase como a vida…



segunda-feira, 15 de abril de 2013

Ruas......!!!!

RUAS....!!!!!!
 

 
Simplesmente ruas....
Desconhecidas....?

Talvez sejam....
 


Porque nunca lá estivemos...
Nunca antes vimos aquelas casas, 
aquelas portas e janelas entreabertas ou não...
Passamos por elas, olhamos
e nada vimos,
ou quase nada encontramos...!!!!
Mas as sombras, o asfalto, os aromas sentidos, 
às vezes falam-nos e dizem-nos tanto......!!!!
Chegam até a contar-nos histórias,
numa fracção de segundos em que as olhamos.
Contam-nos histórias que parecem querer convencer-nos de que, aquele "pequeno mundo", 
também é...., ou algum dia foi..... , nosso... 
que também nos pertence...., ou pertenceu.....
mas no qual nos sentimos, tão simplesmente, 
estranhos, desenraizados...!!!
E continuamos a olhar uma e outra rua 
E tudo parece igual...
E seguimos em frente....
Mas nada nos passa despercebido,
Nada nos é indiferente....!!!

domingo, 14 de abril de 2013

Verdes são os campos......!!!!



É impossível não se gostar de ver um campo verde???

E esta altura do ano é propícia a esse tipo de paisagem onde "quase" tudo (mesmo em zonas onde a vertente urbana já se vai intrometendo, aqui e ali), nos dá o privilégio de apreciarmos diferentes tonalidades de verdes, que a mim...., particularmente....., me encanta....!!!!

Não me limito a passar e simplesmente olhar sem admirar....


Tenho de parar para sentir "bem" o que estou a ver e obviamente também não resisto à captação de algumas imagens......




E a propósito de campos verdes, nada melhor do que ouvir Zeca Afonso interpretar esse belíssimo poema de Luiz Vaz de Camões:

"VERDES SÃO OS CAMPOS"



sábado, 13 de abril de 2013

Coisas de outros tempos....!!!!!



Há já muito que não via uma carroça puxada por uma mula ou por um macho…….!!!!

No Algarve essa carroça, independentemente de ser puxada por mula ou por macho, sempre foi designada por “CARRO DE MULA” e é assim que ainda hoje continua, a ser conhecida, pelo menos por parte daqueles que, como eu, viveram nessa época…..

Quando reparei, não pude deixar de me surpreender e não resisti à tentação de fotografar aquela “imagem”, que para mim já estava, não direi esquecida, mas muito, muito distante…., de tal maneira distante que, o simples facto de estar ali tão perto me fez, assim de repente, recuar no tempo, mais de 50 anos……!!!!!

E então isso trouxe-me à memória recordações e lembranças dessa época, em que tais animais eram tão importantes e de tanta utilidade e sempre tão presentes em tantas actividades do nosso quotidiano….!!!!


Pelo menos no sul do país (que é a realidade que melhor conheço), as mulas e os machos eram utilizados para muitas tarefas fundamentais, nomeadamente na agricultura para:

  • puxar as charruas e arados que lavravam as terras, onde, ao longo do ano, se faziam as diferentes sementeiras nas épocas apropriadas;
  • fazer mover os engenhos existentes nas noras para tirar a água necessária às regas dos terrenos que se encontravam cultivados (sendo este um trabalho normalmente realizado durante a noite);

(esta é uma antiga nora, com o respectivo engenho, que há mais de 50 anos fazia parte de uma enorme quinta, entretanto desaparecida....!!! Felizmente este belo exemplar -apesar de não estar muito bem conservado, como se pode verificar nas fotos-, ainda se mantém.....)  
  • fazer o transporte dos produtos, quer diariamente para os mercados, quer, na altura das colheitas, dos terrenos para os armazéns dos produtores e posteriormente para os locais de venda ou revenda;
  • transportar os seus donos e familiares às vilas e aldeias, tanto para compras, ou qualquer outra diligência, como simplesmente em passeio (porque aqueles “carros de mula”, quando não eram utilizados em trabalho, depois de devidamente limpos e arranjados, eram adaptados ao transporte de pessoas – com pelo menos dois bancos corridos onde não faltavam as respectivas almofadas para um melhor conforto).


Enfim…., a estes animais, trabalho era o que não faltava…., obviamente que havia a preocupação de lhes dar as horas de descanso necessárias, por isso, cada “agricultor” tinha pelo menos dois….., pois seria impensável realizar diariamente tantas tarefas (de dia e de noite), apenas com um exemplar….

Mas não era só na agricultura que tal se verificava…..!!!

Ainda me lembro dos tempos em que (sendo a então Vila de Olhão, uma terra que se dedicava à pesca e à indústria conserveira), todo o peixe era transportado dos barcos que chegavam à doca, para as fábricas de conservas, nos ditos “carros de mula” ….!!!

Havia portanto quem os tivesse apenas para efectuar este tipo de transporte…, eram os chamados “CARREIROS” (era este o nome que se dava a esta profissão), porque tinham os carros, os respectivos animais e estavam disponíveis, desde manhã cedo até ao fim do dia, num local específico, enfileirados, (no caso concreto de Olhão, no início da Avenida da República, junto a um enorme chafariz que ali existia, onde os animais podiam beber), esperando que lhes chegassem pedidos para os referidos carregamentos de peixe e posterior transporte para as fábricas…..!!!!

Como os tempos mudaram….!!!!!

Com o aparecimento dos tractores a lavoura dispensou os arados e as charruas, as carrinhas de caixa aberta dispensaram os “Carreiros e os seus carros de mula”…., enfim……, tudo mudou, para melhor é claro….., só é pena que hoje, infelizmente, não tenhamos agricultura, que a pesca seja pouquíssima e que a indústria de conservas tenha desaparecido completamente…..!!!!



terça-feira, 9 de abril de 2013

A Feira Rural em Torres Vedras.....



No passado sábado, dia 6 de Abril, realizou-se a primeira Feira Rural de 2013, em Torres Vedras.....

Nestes dias de Feira a cidade fica mais animada....!!!!!

São as bancas dos vendedores que se apresentam com óptimos produtos hortícolas e também bastante artesanato, são os queijos, os enchidos caseiros e muito mais...., enfim..., tudo regala a vista....!!!

Muita gente pelas ruas, umas a comprar, outras apenas a ver o movimento e a aproveitar o sol que nesse dia fez a sua aparição, até parece que prepositadamente, para que tudo ficasse mais luminoso, com mais vida, com mais côr....!!!!!


Além disso, os grupos de músicos que tocavam por todas as ruas da cidade e a actuação do Rancho Folclórioco dos Camponeses do Varatojo, junto do Café Império, alegraram bastante o ambiente e acentuaram ainda mais o "toque" de ruralidade que nesse dia se viveu nesta cidade do Oeste.....!!!!



No próximo mês há mais.....!!!

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Caminhar é preciso.....!!!!




" Ponha-se a mexer, pela sua saúde"....


Este é o slogan que encontramos à entrada do Parque da Várzea - Torres Vedras.....!!!!

Na verdade o exercício físico é necessário....., não podemos ficar parados....



Os dias chuvosos, com vento e até com algum frio, das últimas semanas, não incentivavam nada às caminhadas.....



Mas hoje, embora com um sol ainda um pouco envergonhado, já apetecia "celebrar a Primavera, que este ano parece teimar em tardar....!!!!

A temperatura amena que se fazia sentir convidava a sair de casa, o que já deu coragem a muita gente para retomar as caminhadas diárias, tirando assim partido deste dia "diferente" ....!!!!

É claro que o recomeço provoca sempre algum cansaço..., mas isso é só hoje, amanhã, se as condições climatéricas se mostrarem novamente favoráveis..., já tudo será diferente.....!!!

Vamos então continuar com todo o entusiasmo, porque o colesterol, e não só, assim o exigem.....!!!!




sábado, 6 de abril de 2013

Igreja de Santiago - Torres Vedras......



Ando há já algum tempo para falar sobre a Igreja de Santiago, em Torres Vedras, não só porque se trata de um belíssimo templo católico, mas também e sobretudo porque, quando lá entro, me faz imensa pena e ao mesmo tempo uma enorme confusão, porque é que um “monumento” como este, como a seguir descreverei, não lhe é dado o uso que lhe compete….!?!?!?!?

Com perplexidade observo que esta Igreja está apenas a ser usada para “reuniões” dos jovens da comunidade (catequese e outras, o que de certa forma seria legítimo, desde que todo o interior da Igreja não tivesse sido modificado com pequenos gabinetes construídos em contraplacado e destinados às diferentes “aulas” de catequese), mas, muito mais grave do que isso…., é o facto de estar, sobretudo, a servir de arrecadação/casa de arrumos/armazém para tudo e mais alguma coisa…????
Não consigo entender….!!!!
É certo que é necessário existir um espaço com condições para as “reuniões” em apreço…., mas será que aquela Igreja não merecia ser preservada/restaurada e ser-lhe dada a dignidade que merece…..????
Ora não estamos a falar de um qualquer edifício…..!!!
Trata-se de uma Igreja, cuja construção primitiva se julga terá sido no reinado de D. Afonso Henriques, uma vez que é referida num documento datado de 1286, existente na Torre do Tombo, tendo a sua reconstrução ocorrido entre o final do Século XVI e o início do Século XVII….


É uma Igreja de uma só nave, com uma torre sineira e a porta principal é gótica com figuras de relevo.


No interior destacam-se sete altares, um púlpito em mármore do Século XVII, o coro alto, uma Pia baptismal quinhentista e uma capela mor com um retábulo de colunas salomónicas e azulejos setecentistas…..!!!!



São vários Séculos de história que ali, na “santa paz”, se misturam com amontoados de velharias, desde mobiliário a electrodomésticos, 




restando, apenas como espaço livre, os referidos gabinetes em contraplacado e uma pequena área destinada a “sala de espera” para quem aguarda pelas crianças que ali frequentam a catequese…..!!!! 


Não sei há quanto tempo esta situação se verifica, não sei se há projectos para alterar este estado de coisas, mas gostaria muito  de acreditar, que pelo menos haja intenção e boa vontade para pôr esta Igreja, ao mesmo nível das restantes desta cidade.....!!!!!!!

quinta-feira, 4 de abril de 2013

De novo o Poeta Olhanense Dr. João Lúcio.....!!!


Não é a primeira vez que aqui falo deste ilustre olhanense, advogado de sucesso mas também um grande poeta, que infelizmente faleceu muito jovem (apenas com 38 anos de idade)....

Há poucos dias passei defronte de sua casa, um chalé projectado e mandado construir por ele (no sítio de Marim - Olhão)...!!!

      (Antes da reconstrução)




(Actualmente)

Na época em que foi construído, encontrava-se no meio de um denso pinhal, com vista para a Ria Formosa e esse bucólico local, foi certamente muitas vezes fonte de inspiração para os seus poemas....!!!!

Ainda criança, lembro-me de passear por aqueles lados e de achar aquele lugar maravilhoso.....!!!!!

Hoje, quase todo o pinhal foi destruído para dar lugar a um Parque de Campismo e quando ali passo sinto pena por constatar que, do imenso pinhal que ali existia, poucos exemplares restam...., mas felizmente o "seu Chalé", lá está...., recuperado e agora casa museu......!!!!

João Lúcio era um apaixonado pela sua terra, pelas suas gentes e por tudo o que lhes dizia respeito e o poema que se segue é a prova disso:



Natureza imortal, tu que soubeste dar
Ao meu país do sul a larga fantasia,
Que ensinaste aqui as almas a sonhar
Nessa frescura sã da crença e da alegria:

Que inundaste de azul e mergulhaste em oiro
Esta suave terra heróica dos amores,
Que lançaste sobre ela o canto imorredoiro
Que vibra a sinfonia oriental das cores:

Tu que mostraste aqui mais do que em toda a parte
O intenso poder do teu génio fecundo,
Que fizeste este Céu para inspirar a Arte
E lhe deste por isso o melhor sol do mundo:

Ensina algum pintor a fixar nas telas
Este brilho, esta cor, inéditos, diversos,
E põe a mesma luz que chove das estrelas
Na pena que debuxa estes humildes versos.

(João Lúcio)