quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

CABRAL DO NASCIMENTO...


(1897 – 1978)
Poeta, colaborador de importantes jornais e revistas da sua época, investigador da história dos princípios do povoamento das ilhas da Madeira e dos Açores, foi também professor.
 
Fez o curso primário e secundário na sua cidade (Funchal) e entre 1915 1922, frequentou a Faculdade de Direito de Lisboa e de Coimbra.
Em 1923, já no Funchal, ensinou na Escola Industrial e Comercial.

Em 1937, fixou residência em Lisboa, onde permaneceu até à sua morte, tendo leccionado nas escolas Ferreira Borges e Veiga Beirão até 1958, ano em que se aposentou.
Em 1943 obteve o prémio Antero de Quental.


Deixa-te estar na minha vida

Como um navio sobre o mar.
Se o vento sopra e rasga as velas
E a noite é gélida e comprida
E a voz ecoa das procelas,
Deixa-te estar na minha vida.
Se erguem as ondas mãos de espuma
Aos céus, em cólera incontida,
E o ar se tolda e cresce a bruma,
Deixa-te estar na minha vida.
À praia, um dia, erma e esquecida,
Hei, com amor, de te levar.
Deixa-te estar na minha vida.
Como um navio sobre o mar.
(Cabral do Nascimento)


Sem comentários:

Publicar um comentário