segunda-feira, 11 de março de 2019

Compromisso Marítimo e as Igrejas de Olhão...!!!

A cidade de Olhão tem apenas duas Igrejas...!!!

Então e o que haverá em comum entre estas três "edificações": Igrejas de Nossa Senhora da Soledade, Nossa Senhora do Rosário e Compromisso Marítimo?.

"O Compromisso Marítimo", uma instituição tão antiga e com tanta história, como aliás as duas Igrejas de Olhão e o que há em comum entre elas é o facto de terem sido os pescadores da terra (com a sua fé, força, tenacidade e persistência), os seus grandes obreiros...!!!

Sem dúvida alguma que se pode considerar o "Compromisso Marítimo" como um marco importante para o então "Lugar de Olhão" (era assim que naquela época era designado)...
Nasceu a partir da fundação da "Confraria Real do Corpo Santo dos Mareantes", no ano de 1765, e, não foi mais do que uma Associação de pescadores que tinha como objectivo prestar auxílio social aos marítimos e seus familiares, o que queria dizer que tal auxílio seria abrangente a toda a população, uma vez que, naquela época, todos se dedicavam e viviam da pesca...
Os pescadores de Olhão, depois de muito lutarem por esta causa, acabaram por ver atendidas as suas pretensões e a partir de então deixaram de percorrer longas distâncias para poderem usufruir dos serviços médicos essenciais, de que toda a população necessitava (e não só, porque, para muitos outros assuntos, era à "Casa dos Pescadores" - como vulgarmente lhe chamavam, que sempre se dirigiam para qualquer tipo de ajuda)...

Actualmente, é apenas um espaço museológico, que, desde há algum tempo, faço questão de visitar...
Hoje, tentei fazê-lo, mas, azar...! 
Segunda-feira e o museu estava encerrado...
Terá de ficar ainda para uma outra ocasião.
Apenas me foi possível o registo de algumas imagens, da fachada principal do edifício...




Curioso também é que este edifício onde sempre funcionou a instituição em apreço, está, em termos construtivos, ligado à primeira Igreja que o lugar de Olhão teve. "A Igreja Matriz - de Nossa Senhora da Soledade".





Com a autonomia concelhia dos Olhanenses, conseguida em 1695, iniciou-se, mais tarde, a construção de um novo templo (de maiores dimensões - a actual Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário), que abriu ao culto em 1715 e para onde foram transferidos, solenemente, os sinos da antiga Igreja.






Com esta mudança, aquela que foi a primeira Igreja Matriz da povoação (e que a partir de então passou a ser designada apenas e só por "Igreja Pequena" - e é assim que ainda hoje é conhecida), passou à condição de capela, utilizada apenas para funções funerárias...
Apesar de ser uma obra barroca relativamente modesta, apresenta alguma riqueza artística, sobretudo pela existência de uma cúpula, que salta à vista de quem por ali passa, mas a simplicidade do povo de Olhão, não obstante o enorme orgulho e carinho que sente por ambas, apenas lhes chama de: igreja pequena e igreja grande....e é assim que por todos são conhecidas...!!!

Foi apenas uma breve passagem pela cidade que me viu nascer e crescer, mas que me proporcionou algumas lembranças da minha infância...

Sem comentários:

Publicar um comentário